Domingo, 29 de Julho de 2007

EU TIVE UM AMIGO POETA...



"Vou dormir.
A alma já a tenho em repouso.
Agora fecho os olhos
e espero o medo
e depois do medo a música

                                    lembras-te da sinfonia
                                    para pinheiros, maré-alta e concertina,
                                    que compus em criança
                                    com os olhos rasos de água,
                                    agasalhado àquela antiga mágua
                                    que a minha avó me emprestara ?

e depois da música ainda a música
a outra do segredo,
do espanto, da revolta e do degredo.

E só então, na paz que me matara,
vou sonhar com Moledo."

(Do livro Graças a Deus editado pela Difel)



O João já morreu há mais de 10 anos mas continua no top ten do meu Clube dos Amigos Mortos.

Alto, magro, erecto, gargalhada histriónica , via-se que era um poeta pelo olhar...

Quando ao final do dia, naquele sótão do Restelo, o sol no ocaso do Tejo lhe batia nos olhos mel avelã. quase que jurava que ia sair dali poesia...ou me ia voltar a falar de Moledo do Minho.

Nem sequer era de lá, mas passara lá as férias desde miúdo e apegara-se ao Minho quase com paixão, bem patente, aliás, no livro Graças a Deus, publicado em 94.

E contava-me dos seus tempos de fado vadio. Mas isso o João Braga saberá mais do que eu,  já que cantou vários fados escritos pelo João e vadiaram juntos muita vez !

Claro que também falávamos do Benfica...ele era um Fezas Vital. tinha um certo orgulho do pai ter sido presidente do glorioso quando este foi Campeão Europeu.

Evidente que falávamos de publicidade... era a nossa vida, ou boa parte dela !

Eu gostava de fazer jingles e fazia-os bem...a mensagem passava toda, tudo rimava e, alguns, ficaram mesmo na memória de muita gente.

O que levava o João a dizer - porque é não te atiras a escrever a sério ?
- O quê, poesia da tua ?Nem penses...não tenho unhas !

A discussão acalorava-se e as palavras como talento, inspiração, sensibilidade, cruzavam-se com outras expressões mais"académicas.".vai-te lixar, pá !

Um dia, em 88, lancei-lhe o desafio:
- Eu escrevo, tu vês o tema e quase com as mesmas palavras reescreves e depois comparamos.

Desconfiou mas aceitou !

Rebuscando, suando, demorando, procurando fazer o meu melhor, escrevi um poeminha pequeno, que dizia assim :

                      De Tântalo
                      sinto a sede
                      dessa água de rio
                      já navegado.

                                   Mergulho nas correntes da emoção
                                   Afundo-me em ondas de desejo
                                   E em gritos de silêncio
                                   afogo a solidão

                      ...soçobro
                      só
                      porque
                      te
                      vejo !


O João leu, puxou da caneta e, sem hesitações, sem suores nem delongas escreveu:

                        De Tântalo
                        tenho a sede de água
                        de rio antes navegado.

                                         E são de emoção
                                         as correntes,
                                         e de desejo as ondas
                                         em que mergulho e me afundo,
                                         e me afogo
                                         no grito derradeiro do silêncio,
                                         e me soçobro.
                       
                          De Tântalo
                          só porque te vejo !


Pespeguei-os na parede por detrás de mim e sempre que a conversa vinha à baila eu limitava-me a apontar...

Tenho saudades destes tempos...tenho saudades do João !
publicado por entreparentes às 15:09
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Nica a 29 de Julho de 2007 às 18:33
Que bonito mãe... fiquei emocionada... até eu fiquei com saudades do João e conhecia-o tão mal.
De jonasnuts a 30 de Julho de 2007 às 00:10
Cheira-me que as mudanças tiveram algo a ver com este post.

Também me passou pelas mãos uma foto do João, e também me lembrei dele.

Aquele ar mefistofélico era só para enganar, era um querido.

Comentar post

.pesquisar

 

.Sítios que eu visito

.posts recentes

. Daqui a 1 mês não tenho n...

. O Xico Careca e o Faceboo...

. As escadinhas da Regina

. Já lá vão 50 anos...

. Escrever...

. O TAI CHI E EU (I)

. Voltei !

. Vou fazer Harakiri...

. Saravá, amigo de Apucaran...

. Como é que se diz ? Parec...

.arquivos

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds