Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

As escadinhas da Regina

 

Esta imagem captada agorinha mesmo desde a minha janela é dedicada à Ki, cujo comentário ao meu último post despoletou uma série de lembranças daquelas que trazem aromas, sabores, sensações...tudo do melhor.

 

Já antes vos confessei o meu enorme vício mas faço-o de novo nesta sessão :

 - O meu nome é Olga e sou chocólatra !

 

Infelizmente também sou um pouco 'colesterólica' ...

 

Vá lá que os deuses nem sempre estão loucos e, quando me mudei para esta casa, estavam a deitar abaixo a Fábrica de Chocolates Regina,  senão seria de Tântalo o sacrifício de inspirar o maravilhoso perfume que, dizem os que se lembram, descia as escadas e entrava Luís de Camões adentro.

 

Regina é nome de mulher - Saravá Elis - mas para mim será sempre nome de chocolate .

 

E caixas de furos !

 

 

Nos meus tempos de muito menina ir à Feira Popular era coisa de família.

 

Jantar, carrocel, algodão doce, copo de vidro com o meu nome gravado, o comboio fantasma onde nunca andei, o poço da morte que nunca vi, os carrinhos de choque  mais uma corrida mais uma viagem, fotografias calendoscópicas e a bruxa que subia e descia ponha uma moeda na mão da Dora que a Dora conta-lhe tudo, colares de pinhões, ó freguês vai um tirinho e mais as séries de rifas das panelas, tudo ao molho, muita luz, muita cor, muito barulho, muito cheiro a sardinha e a frango...era a Feira Popular !

 

Mas para mim o bom, o máximo, o apogeu, o suprasumo era a paragem no stand da Regina...eu mal chegava ao balcão. Bicos dos pés, gana na mão...

 

Cada furo vinte e cinco tostões. - Ó mãe pode ser mais um ? Só mais um, vá lá !

 

Bola preta, chocolate estreitinho, com uma camada fininha de nougat no meio !

 

Mas o da bola dourada...meu Deus, era enormeee !

 

As tabletes amoleciam nas minhas mãos e eu adorava o chocolate assim meio derretido.

 

(Mais tarde eu e a minha prima G apurámos a técnica pondo as tabletes ao sol  )

 

Agora evito, acho que até lembrança engorda.

 

Mas não engano ninguém...

 

  Neste Natal o meu neto mais velho disse à mãe que queria comprar uma prenda para a avó, que até já sabia exactamente o que queria oferecer. ...e foi assim que ganhei uma caixa de Ferrero Rocher !!!

 

Acabadas as festas voltei a uma alimentação mais regrada, mais peixe, mais legumes e nada de açúcar....(imaginem como fiquei contente quando há um bocadinho, a desmontar a árvore de Natal, descobri bem lá no meio (escapado dos meus três netos) um pequeno mas saborosissimo pai natal de chocolate !

 

Heehehehehehe !

 

 

 

sinto-me: mesmo bem
publicado por entreparentes às 22:13
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009

Já lá vão 50 anos...

 

 

 

Aquela coisa do ano novo vida nova deve passar com a idade.

A mim passou-me.

Acabadas as festas a sensação é de um estranho alívio, um suspirado 'já passou' que ainda por cima quero ver repetido para o ano, que é sinal que ainda por cá ando...

Não me fiz promessas. Nem planos.Nem projectos. Aqui e ali talvez um 'gostava que acontecesse' mas não mais do que isto.

A Luís de Camões tem sido por estes dias uma rua quieta, com tudo fechado.

As velhinhas do costume arrumaram-se em casa, que está de chuva e a pastelaria fechada.

Amargas, na sua maioria, não sei como vão aguentar todos estes dias sem dizer mal de alguém.

E o que tem  o Rock Hudson a ver com as velhinhas da Luís de Camões ?

Nada, a não ser que um já lá está e estas vão a caminho...

Aproveitando a mansidão dos tempos abri a gaveta das fotografias com a esperança que o meu ascendente virginiano me impusesse a feitura de mais um álbum...e foi então que dei de caras com o meu livro de autógrafos e mais as fotografias assinadas...coisas que vieram da casa desfeita da minha mãe.

Um autêntico tesouro na gaveta perdido.

Os primeiros são da passagem de ano de 59 para 60.

Eu tinha 13 anos e andava ali, que figurinha,de livro na mão a pedir...dá-me o seu autógrafo ?

Já lá vão quase 50 anos e as caras vêm agarradas a cada nome.

Henrique Mendes, Ruy de Carvalho, António Silva, Elvira Velez, Humberto Madeira, Jorge Brum do Canto,Carlos José Teixeira, Madalena Iglésias, Maria Leonor,Perdigão Queiroga, José Viana, Laura Alves e tantos, tantos outros. Pelo meio Marisol e Joselito. A terminar, Alfredo Marceneiro e Artur Semedo.

Recordo-me do frenesim dos autógrafos.

Pegava na Plateia ia à morada dos artistas estrangeiros.

Metia o pedido numa carta aberta com um selo de 2 tostões e a coisa funcionava.

Porquê o Rock Hudson ?

Era o tempo dos filmes com a Doris Day e eu achava que ele era o homem mais lindo ao cimo da terra....(depois passei pelo Steve Mcqueen, Nicolas Cage e, decididamente, fiquei-me pelo Bardem).

Recomeçou a chover.

Tenho fome.

Vou mas é fazer o almoço que a nostalgia não enche barriga !!!

 

 

sinto-me: trocista de mim
publicado por entreparentes às 12:12
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.pesquisar

 

.Sítios que eu visito

.posts recentes

. Daqui a 1 mês não tenho n...

. O Xico Careca e o Faceboo...

. As escadinhas da Regina

. Já lá vão 50 anos...

. Escrever...

. O TAI CHI E EU (I)

. Voltei !

. Vou fazer Harakiri...

. Saravá, amigo de Apucaran...

. Como é que se diz ? Parec...

.arquivos

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds