Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

LIBERDADE E COCA-COLA



 Vinham de Espanha.

P'rá aí umas 6.  Não mais. O tráfico delas envolvia algum perigo.

Passavam a fronteira escondidas por debaixo dos bancos do Taunus 12M.

Embrulhadas para que não tilintassem  de medo quando passassem a fronteira.

Já bastava o pânico dos meus olhos, o suor a perlar-me o corpo, o corar até mesmo à raiz dos cabelos quando o guarda da alfândega nos mandava parar e se inclinava para dentro do carro a perguntar :

-  Trazem alguma coisa proibida ?

Se trazíamos alguma coisa proibida. Claro que trazíamos. Como se eles não soubessem...

Era o costume.

Caramelos da viúva Solano (como se os nossos caramelos Vaquinha não fossem tão bons ou melhores) e mais os caramelos de pinhão, as frutas de Málaga envolvidas em chocolate embrulhadas em papel de celofane às cores  (muitas foram-me directamente para as ancas e o pior é que ficaram por cá ...)  e ainda os  infalíveis sabonetes La Toja - os da bailarina espanhola -  directamente de Espanha para a gaveta da cómoda da minha mãe.    

Íamos também ( ou sobretudo ?) pelas gambas, pelos calamares, pelas cañas bem tiradas e por aquela sensação, meio pobrezinha mora longe, de termos ido ao estrangeiro.

E, claro, pela Coca-Cola, cujo consumo era proibido em Portugal (nos dias de hoje até acho que não faria grande falta, mas continuo a ter grande aversão à palavra  proibido !)

- Nada de mais, sr. guarda. Um saquinho de caramelos (eram 5 ! ) uns sabonetes...

Com a travagem as garrafas tinham rebolado e batiam-me agora nos calcanhares, mas consegui esboçar um sorriso ( um esgar ?)  confiante.

O guarda olhou , achou-nos boas pessoas e uns tesos  ( e acertou nas duas ) e lá disse:

- Passem lá !

Lentamente, como quem não tem nada a declarar, nem a temer nem a tremer, fizemos deslizar o Taunus para depois, devagar, acelerarmos de alívio.

O que é que nos podia acontecer se descobrissem ?
Multavam, apreendiam, prendiam ? Nunca soube !

Também naquela altura não sabíamos grande coisa sobre direitos e liberdades.

Mas mesmo que não fossemos anti-fascistas, activistas, comunistas, mas tão somente 'acomodistas' , alguns de nós sabíamos que a liberdade não passava por aqui.

E agora já passa...

Agora tenho liberdade de escolha para, por várias razões, não beber Coca-cola.
Já não a aprecio, não a saboreio, não a anseio, não a gozo...

... mas à liberdade sim !

As coisas não estão como eu gosto, mas pelo menos posso gritar aos quatro ventos, por exemplo, que o Sócrates é um pedante de merda !!!

(Posso, não posso ???)







sinto-me:
música: A liberdade está a passar por aqui
publicado por entreparentes às 13:26
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De KI a 30 de Outubro de 2007 às 21:22
Pedanteeeeeeeee de merdaaaaaaaaaaaa!
Ulalá!!


Viva Portugal.Sempre!
De Miguel a 1 de Novembro de 2007 às 06:16
Adorei o post, nostálgico.
De entreparentes a 1 de Novembro de 2007 às 12:31
Às 6 e tal da manhã eu própria acharia um pouco nostálgico...virava-me para o outro lado e adormecia !
Mas obrigada por ter dito qualquer coisinha...
Até

Comentar post

.pesquisar

 

.Sítios que eu visito

.posts recentes

. Daqui a 1 mês não tenho n...

. O Xico Careca e o Faceboo...

. As escadinhas da Regina

. Já lá vão 50 anos...

. Escrever...

. O TAI CHI E EU (I)

. Voltei !

. Vou fazer Harakiri...

. Saravá, amigo de Apucaran...

. Como é que se diz ? Parec...

.arquivos

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds